Ganhar dinheiro no YouTube: como funciona a monetização de vídeo

Abrir um canal no YouTube e publicar vídeos por meio dele é uma forma de ganhar dinheiro na internet. Entenda a monetização feita pelo site! 

O YouTube é uma plataforma de vídeos da Google. Com 15 anos de história, o site é a principal forma de assistir conteúdos na internet dos mais variados gêneros e criadores. Quem utiliza a plataforma consegue aprender receitas, estudar, assistir videoclipes, entre outros diferentes conteúdos. Por ter um acesso fácil na internet e abrigar uma infinidade de vídeos, o YouTube se tornou uma grande ferramenta de entretenimento para os usuários.

Além de ser uma grande plataforma de vídeos e músicas, o YouTube se tornou uma ferramenta de trabalho entre profissionais dos mais variados setores, lançando assim o termo “YouTuber” – apresentadores e outros tipos de profissionais que estão à frente de um canal de vídeos dentro do site.

Hoje, quem consegue um bom número de visualizações, curtidas e inscritos no YouTube ganha dinheiro por meio das propagandas vinculadas durante o vídeo. Entretanto, a monetização de um vídeo, como é reconhecido o pagamento feito ao canal do YouTube, possui algumas regras para ser feito e requer um bom trabalho de quem produz conteúdo para a plataforma.

Entenda abaixo as regras de monetização de vídeos no Youtube e veja outras dicas para ganhar dinheiro dentro da plataforma!

Como funciona a monetização de vídeo no YouTube

A monetização de vídeo no YouTube ocorre por meio de diferentes formas: o usuário pode ganhar dinheiro dentro da plataforma com lucros de publicidade e a partir de pagamentos mensais em troca de benefícios, de produtos do seu canal e para obter boas posições em chats ao vivo durante transmissões. Além disso, os criadores de conteúdo também ganham dinheiro quando usuários do YouTube Premium assistem vídeos logados em uma conta.

Para ganhar dinheiro no YouTube, o usuário da plataforma que possui um canal de vídeos precisa seguir algumas regras obrigatórias. A primeira delas é se inscrever no Programa de Parcerias do YouTube, o YPP. É por meio da inscrição nesse projeto que o YouTube, junto com a Google, determinam se o canal de vídeos poderá ter monetização.

Podem se inscrever no Programa de Parcerias do YouTube os produtores de conteúdo que aceitarem as políticas de monetização da plataforma. O dono do canal no YouTube deve estar de acordo com as políticas de privacidade e de direitos autorias do site, as diretrizes da comunidade, os temos de uso do YouTube e também aceitar as políticas do Google AdSense, plataforma da Google responsável pelo pagamento da monetização aos usuários.

Além de aceitar e seguir as regras de boa conduta dentro da plataforma de vídeos da Google, o usuário terá que ter mais de 4 mil horas assistidas dentro do YouTube pelo público da plataforma (salvo as regras de exibição no site), conseguir ultrapassar o número de 1 mil inscritos e abrir uma conta no Google AdSense.

Estando de acordo com todos os requisitos exigidos pelo YouTube e a Google, o pedido de monetização deverá ser feito no canal do interessado. O tempo de análise do pedido de monetização leva cerca de um mês, mas esse período pode ser maior, por conta da demanda de solicitações. Abaixo explicaremos como fazer a solicitação no YouTube para ganhar dinheiro com a exibição de vídeos. Confira!

Como ativar a monetização de vídeo no YouTube

Existem diferentes formas de ativar a monetização de vídeos no YouTube. Para começar a ganhar dinheiro com a plataforma, o responsável pelo canal terá que escolher de que forma pretende ter lucros e liberar a opção nas configurações da conta. No entanto, é necessário interligar a conta no YouTube com o Google AdSense, além de ultrapassar a marca de 1 mil inscritos e 4 mil horas de exibição entre o público do canal (não contam visualizações de vídeos privados, não listados, excluídos ou conteúdos marcados como TrueView).

Veja abaixo como abrir uma conta no AdSense e liberar a monetização de vídeos no YouTube!

Google AdSense

O Google AdSense é a plataforma que insere e gerencia os anúncios de publicidade entre os vídeos dos canais no YouTube e em outros sites cadastrados a uma mesma conta. É por meio dele que o usuário consegue acompanhar os lucros da monetização dos conteúdos e usar o dinheiro. Para abrir uma conta, entre no site do Google AdSense e clique em “Primeiros Passos”.

Na tela seguinte, o responsável pelo canal terá que colocar o link da sua página no YouTube, preencher com o endereço de e-mail e escolher se deseja receber informações do Google AdSense. Após esse cadastro inicial, basta concluir o processo de inscrição na plataforma de anúncios do Google e receber os lucros das propagandas vinculadas ao seu canal no YouTube ou site.

Como liberar a monetização de vídeos no Youtube

Quando o canal chegar aos 1 mil inscritos e passar das 4 mil horas de visualizações, o usuário já poderá ativar a monetização por meio dos anúncios para ganhar dinheiro no YouTube. Quem pretende ganhar dinheiro vendendo produtos personalizados do canal terá que ter, pelo menos, 10 mil inscritos, enquanto para ter o Clube dos canais (programa de benefícios criado pelo dono do canal) é necessário ter, no mínimo, 30 mil inscritos.

Para ativar a monetização do YouTube, entre no perfil do seu canal e procure a opção “YouTube Studio”, como na próxima imagem. Você será direcionado até a página de estatísticas, criações e gerenciamento do canal no YouTube.

Na página do YouTube Studio, procure a opção “Monetização” no menu esquerdo da plataforma. Depois, basta clicar em “Enviar notificação quando eu me qualificar” ou, se já tiver atingido o número de inscritos e visualizações mínimos, liberar a opção para ganhar dinheiro no YouTube.

Lembre-se de ler todas as regras e próximos passos para ativar a monetização de vídeos do canal. A liberação dessa opção está sujeita à análise do YouTube, o que pode levar, pelo menos, 30 dias.

Veja também!



Solicite seu empréstimo

Siga-nos nas redes sociais

Copyright © 2020 Konkero. Todos os direitos reservados.

Regras de uso do site Política de privacidade
Google Safe Secured SSL