Calculadora de salário líquido: conheça os descontos

Quer saber como calcular o seu salário líquido? Faça as contas usando a calculadora de salário líquido da Konkero.

calculadora-01

Cálculo do Salário Líquido

Sálario Líquido
Calculadora de salário líquido
Todos os campos devem ser preenchidos

Observações: Este cálculo do salário líquido leva em conta descontos do INSS e do Imposto de Renda de acordo com a faixa salarial. Isso quer dizer que os descontos serão maiores se o funcionário receber um aumento e mudar de faixa salarial. Também não estão incluídos os descontos com dependentes, vale-alimentação e vale-transporte.

 

Você já deve ter se perguntado por que o salário líquido é menor do que o valor que está registrado na sua carteira de trabalho, certo? Todos os meses, uma parte desse do seu salário corresponde aos custos do INSS, Imposto de Renda e, em muitos casos, vale transporte e refeição.

Como esses descontos são calculados com base no seu salário registrado em carteira, é importante saber para onde vai o dinheiro e quais os valores dos descontos. Assim, você tem a certeza que a empresa está cobrando os valores corretamente.

Você descobre todas essas informações preenchendo abaixo o seu salário bruto. Confira!

Como é feito o cálculo do salário líquido?

O salário líquido é sempre baseado no valor que está na sua carteira de trabalho, também chamado de salário bruto. É partir desse valor que a empresa calcula a alíquota do INSS a ser descontada, além do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) e de outros descontos.

Desconto do INSS sobre o salário

O desconto do INSS sempre ocorrerá do salário do trabalhador, independente da quantia que ele receber. O que vai, sim, depender do valor do salário é a porcentagem aplicada para chegar ao devido desconto, a chamada alíquota. Para isso, a cada ano, é estabelecida uma tabela com porcentagens que variam de acordo com uma faixa salarial.

Até fevereiro de 2020, a tabela funciona da seguinte forma: o salário se encaixa em determinada faixa salarial e tem a sua respectiva porcentagem de desconto. A partir de março, as alíquotas passam a ser progressivas, fazendo com que a quantia descontada seja diferente. Confira abaixo as duas tabelas de desconto de INSS para este ano e entenda como o cálculo é feito em cada uma.

Tabela de desconto INSS 2020

Até fevereiro 2020

A tabela vigente até o fim de fevereiro é composta por 3 faixas salariais, com as respectivas alíquotas de contribuição não cumulativas. Nesse caso, o trabalhador pode identificar em qual faixa salarial o seu salário se encaixa e multiplicar a quantia pela alíquota indicada na tabela. Caso o seu salário ultrapasse o valor da última faixa, a contribuição deve respeitar o teto, ou seja, o desconto será somente sobre o valor máximo da faixa salarial, e não sobre o salário inteiro.

Faixa salarial Alíquota de contribuição (%)
Até R$ 1.830,29 8,0
De R$ 1.830,30 a R$ 3.050,52 9,0
De R$ 3.050,53 a R$ 6.101,06 11,0

Por exemplo, um cidadão com salário igual a R$ 2 mil tem o desconto de 9% sobre o salário, uma vez que a sua remuneração se enquadra na segunda faixa. Já se o salário for R$ 6.500, o desconto será de 11% sobre R$ 6.101,06, que é o teto da terceira faixa.

A partir de março 2020

A partir de março, a tabela muda. As alterações atingem tanto as faixas salariais como as alíquotas. Além disso, a tabela conta com mais uma faixa salarial e o método de cálculo não é fixo, mas progressivo.

Faixa salarial Alíquota progressiva (%) Valor máximo de dedução (R$)
Até o salário mínimo (R$ 1.045) 7,5 78,38
De R$ 1.045,01 a R$ 2.089,60 9,0 94,01
De R$ 2.089,61 a R$ 3.134,40 12 125,37
De R$ 3.134,41 a R$ 6.101,06 14 415,33

Sendo a alíquota progressiva, o cálculo para encontrar o valor do desconto fica um pouco mais complicado; o valor de base deve passar por todas as faixas. Acompanhe os exemplos abaixo:

Exemplo 1:

Salário: R$ 2 mil

1. O salário se encaixa na segunda faixa salarial. Sendo assim, subtraia o valor inicial da faixa salarial do valor o salário.

2.000 – 1.045,01 = R$ 954,99

2. Aplique a alíquota da faixa salarial correspondente no resultado.

954,99 x 9% = R$ 85,95

3. Some o resultado ao valor máximo que pode ser descontado da faixa anterior (primeira faixa).

85,95 + 78,38 = R$ 164,33

4. Para saber qual a alíquota que foi aplicada sobre o salário total, basta dividir o valor da dedução pelo valor do salário.

164,33 / 2.000 = 0,0822 = 8,22%

Exemplo 2:

Salário R$ 3.200

1. O salário se encaixa na quarta faixa salarial. Sendo assim, subtraia o valor inicial da faixa salarial do valor do salário.

3.200 – 3.134,41 = R$ 65,59

2. Aplique a alíquota da faixa salarial correspondente no resultado.

65,59 x 14% = R$ 9,18

3. Some o resultado aos valores máximos que podem ser descontados das faixas anteriores (primeira a terceira).

9,18 + 78,38 + 94,01 + 125,37 = R$ 306,95

4. Para saber qual a alíquota que foi aplicada sobre o salário total, basta dividir o valor da dedução pelo valor do salário.

306,95 / 3.200 = 0,0959 = 9,59%

Se você teve dificuldades para entender como é feito o cálculo, observe o detalhamento:

Exemplo 1:

Salário R$ 2 mil

1. Encontre 7,5% de R$ 1.045, que é o teto da primeira faixa.

1.045 x 7,5% = R$ 78,38

2. Encontre o restante do salário, que ainda não passou por nenhuma faixa.

2.000 – 1.045 = R$ 955,00

3. Encontre 9% (alíquota da segunda faixa) de R$ 955,00.

955,00 x 9% = R$ 85,95

4. Some os resultados das duas faixas para encontrar o total da dedução.

78,38 + 85,95 = R$ 164,33

5. Para saber qual a alíquota que foi aplicada sobre o salário total, basta dividir o valor da dedução pelo valor do salário.

164,33 / 2.000 = 0,0822 = 8,22%

Exemplo 2:

Salário R$ 3.200

1. Encontre 7,5% de R$ 1.045, que é o teto da primeira faixa.

1.045 x 7,5% = R$ 78,38

2. Subtraia o valor que foi considerado na primeira faixa do teto da segunda faixa.

2.089,60 – 1.045 = R$ 1.044,60

3. Encontre 9% de R$ 1.044,60.

1.044,60 x 9% = R$ 94,01

4. Subtraia o valor que já foi considerado nas duas faixas do teto da terceira faixa.

3.134,40 – 2.089,60 = R$ 1.044,80

5. Encontre 12% (alíquota da terceira faixa) de R$ 1.044,80.

1.044,80 x 12% = R$ 125,38

6. Encontre o restante do salário, que ainda não passou por nenhuma faixa.

3.200 – 1.045 – 1.044,60 – 1.044,80 = R$ 65,60

7. Encontre 14% (alíquota da quarta faixa)  de R$ 65,60.

65,60 x 14% = R$ 9,18.

8. Some os resultados das quatro faixas para encontrar o total da dedução.

78,38 + 94,01 + 125,38 + 9,18 = R$ 306,95

9. Para saber qual a alíquota que foi aplicada sobre o salário total, basta dividir o valor da dedução pelo valor do salário.

306,95 / 3.200 = 0,0959 = 9,59%

A mudança da tabela ocorreu devido ao novo reajuste do salário mínimo, que passou de R$ 1.039, vigente em janeiro, para R$ 1.045, vigente a partir de fevereiro de 2020.

Cálculo do Imposto de Renda da Pessoa Física – IRPF

O Imposto de Renda da Pessoa Física é calculado de forma diferente do INSS. Enquanto o INSS é calculado apenas sobre o valor do salário bruto, o IRPF considera o salário bruto menos a dedução do INSS e, caso o funcionário tenha dependentes, ainda é deduzido o valor de R$ 189,59 por cada dependente.

Em um exemplo prático: um funcionário recebe o salário bruto de R$ 3.200 e tem um filho como dependente. O desconto do INSS será de acordo ao salário bruto, ou seja, R$ 306,95. Além disso, também será descontado o valor de R$ 189,59 pelo dependente dele. 

3.200 – 306,95 – 189,59 = 2.703,46 (valor que servirá de base para o cálculo do desconto do IRPF)

Além disso, o Imposto de Renda varia de acordo com o valor do salário da pessoa. Quanto maior o salário, maior o percentual cobrado. Mas, diferente do INSS, não existe teto. Ou seja, quem ganha muito, pagará mais de Imposto de Renda.

 Salário  Alíquota  Parcela a deduzir
Até R$ 1.903,98  0%  R$ 0
De R$ 1.903,99 até R$ 2.826,65 7,5% R$ 142,80
De R$ 2.826,66 até R$  3.751,05 15% R$ 354,80
De R$  3.751,06 até R$ 4.664,68 22,5% R$ 636,16
Acima de R$ 4.664,69 27,5% R$ 869,36

O FGTS é descontado do salário?

Diferente do INSS, o FGTS não é descontado do salário. Ou seja, os 8% que todo funcionário registrado tem direito é pago pela empresa, sem que seja descontado qualquer valor do salário do empregado. Assim, se você ganha R$ 1 mil, a empresa recolherá R$ 80, sem descontar nada de você.

Descubra o saldo do FGTS

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) não sai do seu salário, mas é seu direito. Todo mês, a empresa que o contratou tem a obrigação de depositar uma quantia no seu FGTS. Mas você tem ideia de qual é este valor? Calcule um valor aproximado agora mesmo: basta clicar aqui.

Quer saber o saldo acumulado de FGTS que você possui? Clicando aqui você aprende como consultar o extrato do FGTS online. Saiba que, com o valor disponível no fundo de garantia, você consegue dar entrada na casa própria e, sobretudo, em caso de demissão sem justa causa ou aposentadoria, o saldo disponível deve ser sacado por você.

Veja também!



Solicite seu empréstimo

Siga-nos nas redes sociais

Copyright © 2020 Konkero. Todos os direitos reservados.

Regras de uso do site Política de privacidade
Google Safe Secured SSL