Máquina de cartão de crédito e débito: 7 dicas para escolher a melhor opção

Os empreendedores e empresários precisam levar em conta alguns fatores antes de comprar uma maquininha de cartão. Confira! 

A máquina de cartão é um equipamento quase obrigatório nos estabelecimentos e para profissionais que trabalham como autônomos ou em atividade informal. Dessa forma, a maquininha garante que o valor da compra seja pago pelo cartão de crédito ou cartão de débito, sem depender do dinheiro em espécie.

No Brasil, já existem diversas opções de maquininha de cartão à venda no mercado e os modelos estão disponíveis em equipamentos mais simples sem bobina até outras máquinas que monitoram o estoque e fazem conexão com redes Wi-Fi e planos de 3G. Por isso, o profissional precisa saber qual será a máquina de cartal ideal para receber os pagamentos de cartão de crédito e débito.

Além de saber mais sobre informações técnicas das máquinas de cartão, o profissional deve levar em conta outras coisas antes de alugar ou comprar a maquininha para receber o valor das vendas dos clientes. Veja algumas dicas e saiba como descobrir a melhor opção para o seu negócio.

7 dicas para escolher uma máquina de cartão

1. Leve em conta o tamanho da empresa

As maquininhas de cartão são ideais para os negócios que já possuem uma boa clientela. Nesses casos, é indicado ter um equipamento para aceitar o pagamento de cartões de débito e de crédito. Em negócios que estão começando, os vendedores podem ter máquinas de cartão mais simples que funcionem sem bobina, por exemplo.

Os empreendedores e vendedores informais costumam ter uma estrutura menor de trabalho, tendo em vista as lojas maiores e empresas. Por isso, uma maquininha de cartão portátil sem bobina pode ser uma boa opção. Se a atividade de venda for maior e mais frequente, o profissional pode precisar de um equipamento com bobina para emitir comprovantes de venda e que faz conexões sem fio à internet.

2. Pense no local de trabalho antes de comprar

Para os profissionais que trabalham com barracas de comida, artesanatos e outras atividades ao ar livre, a maquininha de cartão deve ter conexão por planos de dados ou redes Wi-Fi, porque o empreendedor não terá um ponto fixo de internet e o aparelho não funcionará.

Quem trabalha em pontos comerciais ou salões pode contar com a conexão de banda larga e até a rede Wi-Fi. Nesses casos, a variedade de equipamentos é maior e os riscos de perder alguma venda por conta do sinal de internet são menores.

3. Consulte as taxas das maquininhas

Os profissionais devem ter em mente que uma parte das vendas recebidas com a maquininha são repassadas às empresas que fabricam o equipamento. Mesmo que o empreendedor tenha comprado a máquina, a empresa cobra taxas sobre as compras pagas com o cartão de débito e crédito.

Antes de comprar a máquina de cartão, veja em mais de uma empresa quanto será a taxa cobrada pelas compras que foram pagas com cartão de crédito ou de débito. Geralmente, os pagamentos com cartão de débito possuem uma tarifa menor, cerca de 2%, mas as compras fechadas com cartão de crédito podem chegar a 6% de taxa em valores parcelados. Portanto, avalie bem todas as taxas praticadas pela empresa antes de fechar a compra de uma maquininha.

4. Descubra se usará todas as funções do equipamento

Algumas máquinas de cartão possuem outras funções além de receber pagamentos de cartões e voucher de alimentação. Em alguns modelos, o profissional consegue monitorar o estoque do negócio e fazer relatórios de venda. Essas funções são alternativas para o profissional que possui um negócio com movimentação e fluxo de caixa maiores. Por isso, confira as funções disponíveis no equipamento e veja se vale a pena comprar a maquininha para receber o valor das vendas.

5. Leve em conta o fluxo de vendas

As maquininhas de cartão são essenciais para os empreendedores que desejam receber o valor de compras no débito ou no crédito. Portanto, o comerciante precisa saber, aproximadamente, quanto irá faturar quando começar a utilizar a máquina de cartão em seu negócio. Caso os ganhos sejam menores, valerá a pena comprar um equipamento mais simples sem bobina para ter uma opção além do dinheiro para receber o valor das compras.

6. Lembre-se do tipo de atividade do negócio

Lanchonetes e bares em ruas e avenidas movimentadas tendem a ter uma faixa de ganhos e número de clientes maiores. Em pontos próximos a empresas, escritórios e prédios comerciais, o empreendedor precisa pensar na possibilidade contratar uma máquina de cartão que aceite voucher de alimentação, o vale-refeição. Assim, o dono do restaurante ou bar garante o recebimento do valor de cafés da manhã e almoços com outra forma de pagamento.

Donos de barracas de comidas e de food-truck também precisam pensar na possibilidade de usar uma máquina de cartão. Geralmente, quem possui esses meios de venda estão localizados em pontos mais movimentados, por isso, ao comprar uma maquininha que recebe vale-refeição, a possibilidade de fazer mais vendas é maior.

7. Conheça os benefícios da maquininha de cartão

Como a variedade de maquininhas de cartão no Brasil aumentou nos últimos anos, as empresas oferecem facilidades para atrair mais empresários, empreendedores e autônomos até os equipamentos disponíveis. Dessa forma, algumas empresas não cobram taxas sobre os pagamentos recebidos pela máquina de cartão nos primeiros meses de uso do equipamento ou até o profissional atingir um limite de recebimentos.

Para os profissionais que estão começando a utilizar as maquininhas, essas facilidades ajudam a aumentar o faturamento do negócio fazendo com que a cobrança de taxas não seja feita. Antes de comprar uma máquina de cartão, confira esses e outros benefícios que ajudem na hora de faturar mais.

Veja também!




Siga-nos nas redes sociais

Copyright © 2020 Konkero. Todos os direitos reservados.

Regras de uso do site Política de privacidade
Google Safe Secured SSL